Waldomiro Figuereido

Waldomiro Figuereido

A TRAJETÓRIA DE SUCESSO DA CETRE E DE SEU FUNDADOR

O engenheiro mecânico industrial e diretor da CETRE, Waldomiro Figueiredo, iniciou a carreira na área de END (Ensaios Nãos Destrutivos) há mais de trinta anos. Com formação em energia nuclear, obteve sua primeira qualificação em 1984, como Supervisor de Radioproteção na área de Radiografia Industrial. Desde o começo, Waldomiro esteve envolvido em grandes projetos: na SGS, atuou nas obras de construção da Usina Hidroelétrica de Itaipu e na construção da Cia Siderúrgica de Tubarão, além de diversas obras da Petrobras e de grandes empreiteiras. "Trabalhar em grandes obras é a oportunidade de ouro para quem deseja se desenvolver rapidamente na área profissional, dando a oportunidade de colocar em prática tudo que aprendeu nos bancos escolares", afirma o engenheiro. Segundo Waldomiro, outra maneira de abrir portas na profissão é estar cada vez mais qualificado para o mercado. "Fiz diversos cursos e qualificações de forma a atender as exigências do antigo sistema Sequi-Petrobrás nas décadas de 80 e 90", conta. "Também fiz cursos fora do Brasil, como a especialização em Eddy Current - usada na inspeção de trocadores de calor em usinas nucleares - em Milão, na Itália, e inúmeros trabalhos em centrais nucleares, em especial na usina nuclear Dampierre Nuclear Power Plant, na França", afirma o engenheiro.

Além dos cursos, a experiência no dia a dia do trabalho também é primordial para a formação de um bom profissional. Foi na Brasitec, uma representante de equipamentos de END no Brasil, por exemplo, que Waldomiro aperfeiçoou a escolha das melhores técnicas de END, desempenho, custos e treinamento de pessoal técnico para operar os equipamentos. "Nesse tempo, sempre que possível lecionava aulas para a ABENDI - Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção, nas áreas de Radiografia Industrial, Ultrassom e Radioproteção", relembra o engenheiro.

O gosto pelas aulas incentivou Waldomiro Figueiredo a iniciar as atividades da CETRE. O Metrô de São Paulo foi o primeiro cliente. No ano passado, a CETRE completou 18 anos de atividades. Realiza cursos no Brasil e no exterior para, em média, 1.500 alunos por ano, nas áreas petroquímica, automobilística, aeronáutica e nuclear. "Para garantir a qualidade dos nossos cursos, implantamos, em 2006, um sistema de qualidade baseado no padrão normativo ISO 9001", explica Waldomiro. "Enquanto muitos profissionais ainda buscam um lugar ao sol, a área dos END e Inspeções ainda oferece uma grande oportunidade de desenvolvimento profissional, pois é uma área carente de mão de obra especializada", afirma. "Acrescento que o caminho não é fácil, porém compensa muito o esforço quando comparamos com outras profissões que possuem alta concorrência entre os formados", conclui Waldomiro Figueiredo.